DIA INTERNACIONAL DA MULHER

A Associação dos Distribuidores e Engarrafadores de Água Mineral do RS deseja a TODAS as MULHERES um FELIZ DIA, mas em ESPECIAL a todas que TRABALHAM NO SETOR DE ÁGUA MINERAL.

 

 Foto Tirada do Site: http://www.leonardoconcon.net/tag/agua-mineral/

Adam-rs

Água Ouro Fino em Caixinha refresca o Carnaval de Salvador

A Ouro Fino firmou uma parceria com a Central do Carnaval e distribuirão 400.000 unidades de embalagens em caixinha de 300 ml  de água mineral Ouro Fino, durante os 5 dias de Carnaval de Salvador. A ação atenderá os foliões dos blocos e camarotes Camaleão, Nana Banana e Voa-voa, comandados pelas bandas Chiclete com Banana e Timbalada.

 

 O grande destaque da embalagem cartonada da água Ouro Fino é o formato tetraédrico, mais prático, seguro e higiênico, perfeito para o consumo direto. Além disso, a opção também é feita com matéria-prima renovável e certificada, e também é 100% reciclável, o que minimiza o impacto ambiental dos consumidores.
 
Veja abaixo, os eventos, blocos e camarotes que terão as caixinhas de água mineral Ouro Fino:
– Ensaios do Camarote do Nana – Banda Oito7Nove4 e Convidados
– Ensaio Geral – Praia do Forte – Chiclete, Banda 5% e Timbalada
– Bloco Camaleão, Nana Banana, Voa Voa, Chiclete com Banana, Timbalada
– Bloco Skol Folia – Parangolé, DJ Malboro e DJ Wiill
– Bloco Banana Coral
– Camarotes – Nana Banana, Skol e Pra Você

Sobre a Ouro Fino
A Empresa de Águas Ouro Fino é uma tradicional empresa brasileira, fundada em 1946 por Augusto P. Mocellin, porém a Ouro Fino já atuava no comércio desde 1898. Situada em Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, a Águas Ouro Fino busca o equilíbrio com a natureza na extração de água mineral, com o máximo de qualidade e tecnologia. Com uma vazão de 520 mil litros/hora, a fonte Ouro Fino tem capacidade para abastecer o crescimento do mercado, consolidando a liderança nacional. (Carla.Meneghini@ogilvy.com)

TIMBU- Sucesso de vendas

Sucesso de vendas PDF Imprimir E-mail
Sex, 04 de Março de 2011 15:09
A indústria Água Mineral Timbu comemora a venda de 263 cupons no site de compras coletivas Abuze. A oferta foi 50% de desconto em um fardo de garrafinhas de água 500ml (12 garrafas com gás ou sem gás) mais cinco litros (duas unidades) de Água Timbu. A ideia foi promover a Boutique Timbu, primeira boutique de águas do Brasil, já que os compradores têm que retirar o produto na loja. Na Boutique Timbu, além de água com a marca da empresa, com todas as embalagens disponíveis, um painel com fotos da indústria apresenta a fonte. As famosas águas Perrier, Panna e San Pellegrino podem ser adquiridas na loja que conta com o serviço Timbu Express para o Batel Soho. A Boutique de Água fica na Rua Vicente Machado, 837.

Sobre a Timbu:

A Água Mineral Timbu foi fundada em 1962 pelo empresário Samuel Silveira, com sede no município de Almirante Tamandaré. Empresa familiar, a Timbu conta 80 funcionários e tem como carro chefe o galão de 20 litros. Com uma moderna linha de envase, engarrafa desde copos descartáveis de água até galões. Em 2001, ampliou seu espaço para engarrafamento de galões de 20 litros, são 800 m2 de área de descarga, lavagem e higienização, envase e carregamento de galões, que possibilita aos distribuidores descarregar sua carga em aproximadamente 45 minutos e carregar de novo uma carga média de 450 galões. Em abril de 2009, conquistou a certificação ISO 9001:2008.

HIGIENE: Vigilância Sanitária de Rio Claro faz alerta sobre a venda irregular de galões de água mineral

a venda irregular de galões de água mineral

QUEM COMPRA ÁGUA DE GALÃO VISANDO SAÚDE E HIGIENE DEVE ESTAR ATENTO QUANTO À VENDA DO PRODUTO EM LOCAL IMPRÓPRIO PARA O COMÉRCIO

JORNAL CIDADE

A venda dos galões de água mineral e natural é permitida somente em locais que comercializem alimentos ou bebidas

Ana Ligia Noale

Quem compra água mineral ou natural de galão visando saúde e higiene deve estar atento quanto à venda irregular do produto em depósitos de gás de cozinha, postos de gasolina, borracharias ou locais não autorizados para esse tipo de atividade. Isso é o que alerta a Vigilância Sanitária de Rio Claro.

Vários procedimentos são adotados desde a captação até o envasamento do produto para que se atendam às normas sanitárias, mas somente isso não basta para que a água chegue ao copo do consumidor de forma segura. Afinal, de nada adianta ter todos os cuidados na indústria se, durante o transporte e venda do produto, os devidos cuidados também não forem adotados.

No ano passado, três empresas da cidade foram notificadas e, destas, uma foi autuada pela venda de galões de água em local impróprio para o comércio de produtos alimentícios.

Para o coordenador da Vigilância Sanitária, Agnaldo Pedro da Silva, o problema da comercialização de água em depósitos de gás e postos de gasolina reside no perigo da manipulação incorreta do produto. “Normalmente, o mesmo funcionário que abastece e fica com resíduos de gasolina, álcool ou óleo nas mãos também manipula os galões.”

Agnaldo frisa que “a contaminação cruzada acontece quando os micro-organismos são transferidos de um local para o outro por intermédio de utensílios, equipamentos e mãos, portanto a venda de galões de água deve ser restrita a comércios especializados na venda de produtos alimentícios”.

Para garantir a segurança alimentar da água mineral ou natural de galão, a dica do coordenador da Vigilância Sanitária é verificar o transporte do produto, que deve ser feito por veículo com cobertura e proteção lateral, em boas condições de higiene e que não permita a incidência solar nos galões. Nesse sentido, o veículo não deve transportar água juntamente com outras cargas que comprometam a qualidade, como botijões de gás ou produtos para saneamento.

Além disso, a venda dos galões de água mineral é permitida somente em locais que comercializem alimentos ou bebidas. “O armazenamento dos galões deve ser em paletes ou prateleiras, longe de produtos saneantes ou qualquer substância tóxica que possam comprometer sua qualidade. Protegida da incidência direta de luz solar; em local limpo, arejado e reservado exclusivamente para esse fim”, acrescenta o coordenador.

Dúvidas ou reclamações devem ser apresentadas à Vigilância Sanitária pelo telefone 3533-1275.

Barra Bonita próxima de envasar água mineral

Amostras de água e rochas foram encaminhadas a Brasília para análise. Se comprovada a qualidade, município abrirá licitação para que nova indústria se instale

Barra Bonita – Folha do Oeste

 

Ainda no final do mês de dezembro de 2010, o município de Barra Bonita concluiu a furação de um poço em uma propriedade adquirida ainda na metade do ano. Terreno, que mede 75 mil metros quadrados, foi adquirido ao valor de R$ 165 mil pela municipalidade.
De acordo com o vice-prefeito, Claudimir Dassi, na primeira furação, com cerca de 102 metros de profundidade, o poço apresentou vazão de seis mil litros de água por hora. Após as primeiras análises, foi constatado que a água, mesmo apropriada para o consumo, ainda não apresentava composições suficientes para ser caracterizada como mineral. Conforme Dassi, a perfuração prosseguiu até atingir 126 metros de profundidade. “Agora, o poço verte oito mil litros de água por hora. Com a bomba, pode chegar a 50 mil litros de água por hora”, comenta. Segundo ele, o município investiu cerca de R$ 16 mil para realizar o serviço de perfuração.
Conforme o vice-prefeito, é necessário fazer um teste de vazão para saber quantos litros de água podem ser extraídos por dia para que não ocorra o comprometimento do abastecimento natural dos lençóis freáticos. Dassi calcula que será necessário interromper a extração em uma média de seis a oito horas por dia.

VISÃO
Segundo o vice-prefeito, a administração já sabia que nas terras adquiridas poderia haver água mineral de qualidade. “Sempre disse que tínhamos um rico potencial em água no subsolo. Sabia que tínhamos lençóis freáticos com água em abundância”, relembra. “Felizmente, agora isso se confirma, e, inclusive, com possibilidade de conter o vanádio”, complementa. Vanádio é um componente mineral que potencializa os benefícios da água.

ENVASE
Caso a qualidade da água seja comprovada para o envase, Dassi confirma que já existem empresas interessadas em se instalar no local para industrializar a água. “Claro que ainda dependemos de uma confirmação de análises, já que o poço foi confirmado como mineral”, ressalva. “Essa análise deve chegar de Brasília nos próximos dias, para confirmar, então, a água mineral, e, possivelmente, partirmos para as negociações de viabilização da futura indústria”, observa.
De acordo com o vice-prefeito, em razão do município possuir o terreno, o intuito será o de transformar a área em um polo industrial de Barra Bonita. “A proposta é esta. A empresa que vai extrair a água terá disponível uma área de dez a doze mil metros quadrados deste terreno”, adianta. Conforme prevê Dassi, com a implantação de uma envasadora de água, outras indústrias virão para o município. “Se isso se confirmar, teremos de ampliar o terreno para essas indústrias”, finaliza.

Controle de qualidade na venda e distribuição de água mineral em Vinhedo é tema de projeto

 

 

Entrou em tramitação nesta terça-feira, 1° de março, o projeto de lei do vereador e presidente da Câmara Municipal de Vinhedo, Adriano Corazzari (PSB), que estabelece na cidade alguns precedentes para a comercialização de água mineral envasilhada. As empresas que vendem e distribuem água mineral em vasilhame final deverão afixar obrigatoriamente em seu estabelecimento, em local de fácil localização pelo cliente, cópia do relatório de Exame de Padrão Microbiológico, nos termos da RDC nº 275, de 22 de setembro de 2005, editada pelo Ministério da Saúde através da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Em caso de entrega domiciliar do produto, o vendedor deverá levar consigo uma cópia do mesmo exame. Tal relatório deverá ser emitido ao comerciante pelo fornecedor da água mineral.

De acordo com a justificativa do PL, a ideia da lei é impedir a comercialização de água potável oriunda de envase clandestino, que normalmente não segue os padrões de higiene e qualidade exigidos pelas leis federais.

O projeto também proíbe a comercialização de água potável em vasilhames plásticos retornáveis que ultrapassem a data limite de três anos de sua vida útil, nos termos da portaria nº 387/2008 do Departamento Nacional de Produção Mineral. “O prazo de validade de três anos é importante porque os galões antigos se tornam menos resistentes e podem contaminar a água; ao longo do tempo ele vai se desgastando com as lavagens e criando uma superfície porosa que pode acumular sujeira, portanto há a necessidade de zelarmos ao máximo pela saúde de nossa população”, esclareceu Corazzari.

http://www.camaravinhedo.sp.gov.br/noticia_detalhes.asp?id=1209

 

Empreendedora individual é premiada

  
Programa apoiado pelo Sebrae-MG estimula a formalização e a geração de renda no bairro Jardim Teresópolis, em Betim

A comerciante Regiane Verônica Gomes, moradora do Jardim Teresópolis, conquistou em dezembro o prêmio de Empresária do Ano, na categoria Empreendedor Individual. O prêmio foi concedido pela Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Betim (ACIABE) com o propósito de premiar empresas e empresários que se destacam em Betim por promover o crescimento econômico do município, gerar emprego, renda e contribuir com programas de responsabilidade e valorização cultural, social e econômica. Regiane foi indicada ao prêmio por ter sido a primeira empreendedora a se formalizar no município, através da Lei Geral do Empreendedor Individual.

Regiane possui um armarinho e há sete meses abriu, em conjunto com seu marido, o segundo empreendimento: uma distribuidora de água mineral, que vem crescendo a passos largos. No primeiro mês de funcionamento (julho), vendeu pouco mais de 300 galões de água mineral de 20 litros. No mês de novembro as vendas ultrapassaram os quatro mil galões.

A formalização de Regiane como empreendedora individual é fruto do trabalho de orientação feito pelo Programa Árvore da Vida – Jardim Teresópolis, apoiado pelo Sebrae-MG. “Como o comércio é a principal vocação econômica da região, nós realizamos uma série de ações para fortalecer este setor da economia. E a regularização dos empreendimentos é o primeiro passo”, explica Luciana Silva, gestora da área de Geração de Trabalho e Renda do Programa Árvore da Vida – Jardim Teresópolis.

Em função desse trabalho, muitas outras conquistas estão sendo alcançadas pelos empreendedores da região. Hoje é comum encontrar comerciantes na comunidade que possuem máquinas de cartão de crédito. Outro benefício da regularização do empreendimento é a possibilidade de emitir notas fiscais. “Os restaurantes, por exemplo, não podiam fornecer para empresas porque não tinham como emitir notas fiscais. Com a regularização, esse problema acaba e a cartela de clientes desses empreendedores pode aumentar”, ressalta Luciana.

Desde 2008, mais de 156 empreendedores do Jardim Teresópolis já foram beneficiados pelo programa. Outro aprendizado fruto do trabalho realizado pelo Árvore da Vida é o trabalho em conjunto. No final do ano, pela segunda vez, os comerciantes se uniram para realizar o “Natal Premiado”. Moto, geladeira e TV foram alguns dos prêmios oferecidos na campanha que tinha como objetivo estimular que as pessoas da região façam suas compras dentro do próprio bairro. “Na medida em que mais recursos circulam dentro da comunidade, mais fortalecido fica o comércio local, que pode gerar mais empregos e desencadear vários outros ganhos”, considera Luciana.

A empresária do ano, conta como as orientações que têm recebido estão lhe ajudando a crescer. “Com os cursos de empreendedorismo, minha mente foi se abrindo. Comecei arrumando minha loja, colocando estantes de vidro, balcão, abrindo uma porta maior e fazendo uma vitrine. Depois veio a máquina do cartão de crédito que fez diminuir bastante os pedidos de compra fiada. Hoje eu tenho CNPJ e alvará da prefeitura de Betim, coisas que me dão mais estabilidade”, relata. O Sebrae apóia o programa Árvore da Vida – Jardim Teresópolis, realizando palestras, oficinas e capacitações gerenciais.

Sobre o Programa Árvore da Vida – Jardim Teresópolis
O Programa Árvore da Vida – Jardim Teresópolis, idealizado e desenvolvido pela Fiat Automóveis em parceria com as ONGs Fundação AVSI e CDM, foi criado em 2004. Ele visa à inclusão social de crianças e jovens e seus núcleos de relacionamento (família, escola e comunidade) a partir de três eixos: atividades socioeducativas, geração de trabalho e renda e fortalecimento da própria comunidade.

Fonte: Lead Comunicação e Sustentabilidade
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.140 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: