‘Não temos água, não insista’, diz cartaz na porta de distribuidora em MG

Lama de barragens de Mariana prejudica abastecimento em Valadares.
Disputa por galões de água mineral é intensa e filas dobram quarteirões.
 Diego SouzaDo G1 Vales de Minas Gerais
Fila estava dobrando o quarteirão em um estabelecimento do Bairro de Lourdes em Valadares (Foto: Diego Souza/G1)Fila dobra o quarteirão em um estabelecimento do Bairro de Lourdes em Valadares (Foto: Diego Souza/G1)

Mais de 260 mil pessoas podem ficar sem água no próximos dias em Governador Valadares, cidade do Leste de Minas que foi atingida pela lama proveniente do rompimento das barragensFundão e Santarém, em Mariana, na quinta-feira (5). A captação de água do rio Doce foi suspensa no último domingo (8) e os reservatórios do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) estão vazios. Os rejeitos de minério começaram a chegar à região no fim de semana.

Nos pontos de venda de água mineral as filas são grandes, a procura é intensa e a quantidade é pouca. Em uma distribuidora no Bairro de Lourdes a fila avançou um quarteirão, e uma equipe da Polícia Militar precisou ir até o local para evitar confusão. A Polícia Civil informou que vai investigar as distribuidoras que estariam praticando preço abusivo na venda dos galões de água mineral.

Este cartaz foi pregado na porta de uma distribuidora de água (Foto: Diego Souza/G1)Este cartaz foi pregado na porta de uma
distribuidora de água (Foto: Diego Souza/G1)

“A Polícia Civil vai compilar todas as informações que chegarem a nosso conhecimento através do trabalho da Polícia Militar, no sentido de percorrer os estabelecimentos comerciais que estão praticando esse tipo de crime contra a economia popular. Vamos também orientar e fiscalizar, mas caso haja a necessidade, vamos promover até uma eventual prisão em flagrante em razão destas práticas delitivas, cuja pena pode chegar a dois anos de prisão”, explicou o delegado Bernardo Pena Salles.

A prefeitura disponibilizou 23 caminhões-pipa para abastecer escolas, creches e hospitais, mas a quantidade de água não é suficiente para atender a demanda. A previsão, segundo a prefeitura, é de mais 60 caminhões-pipa para esta quarta.

Hemodiálise
Cerca de 150 pacientes com deficiência renal precisam fazer hemodiálise pelo menos duas vezes por semana no Hospital Nossa Senhora das Graças, e a máquina que faz esse processo depende de água para funcionar. O hospital informou que vai acionar a empresa Samarco Mineradora, empresa responsável pelas barragens de Mariana, para conseguir novas máquinas, que gastam menos água para fazer a hemodiálise.

“Para o procedimento são necessários 60 mil litros de água, a hemodiálise gasta 20 mil litros, por isso, não teremos mais água para os pacientes”, afirmou a coordenadora de enfermagem do Hospital Municipal, Renata Soares.

A falta de água também tem mudado a rotina de alguns departamentos públicos de Governador Valadares. A Câmara Municipal vai funcionar em horário reduzido de 13 às 17 horas e a partir desta quinta-feira (12), os funcionários vão trabalhar em esquema de revezamento.

A medida é para racionalizar a água que ainda resta nos reservatórios do local. Já o Parque Municipal de Governador Valadares vai ficar fechado de quinta-feira (12) até terça feira (17). A ação faz parte do plano de emergência elaborado pela prefeitura da cidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: