Nova Fábrica de água mineral em Angola

        O município do Icolo Bengo, província do Bengo, conta com mais uma unidade industrial, a fábrica da “Água Cristalina”, captada a partir de perfurações a 150 metros de profundidade. O referido projecto pertence ao “Grupo Mostratus” e dispõe de duas linhas de enchimento independentes.
       Uma linha enche garrafões de cinco litros e a outra, garrafas de litro e meio, meio litro e 0.33 decilitros. A linha de enchimento dos garrafões tem capacidade para engarrafar quatro mil unidades por hora. A outra linha enche 12 mil garrafas por hora.
        João Pinto, director executivo do grupo, disse que a capacidade de produção diária varia consoante as horas de trabalho. Actualmente, a fábrica está a trabalhar apenas com um turno de oito horas. “Estas capacidades podem variar a partir do momento em que entrar em funcionamento o segundo e terceiro turno de trabalho”, disse o gestor.
        Em termos de capacidade instalada, João Pinto assegurou ao Jornal de Angola que com três turnos a funcionar, a unidade fabril tem capacidade para enchimento de mais de 100 milhões de litros de água por ano, superando o número actual das importações, segundo dados estatísticos fornecidos pela Direcção Nacional das Alfândegas.
        João Pinto disse que a marca “Água Cristalina” está a ser distribuída em oito províncias, Luanda, Bengo, Benguela, Huambo, Kwanza-Sul, Huíla, Malange e Lunda-Sul. O gestor acrescentou que em Luanda, o “Grupo Mostratus” dispõe de uma rede própria de distribuição, e que nas províncias esse serviço é terciarizado.
      “É nossa pretensão distribuir o nosso produto em todas províncias. Numa segunda fase estamos a pensar exportar”, referiu. O director executivo do “Grupo Mostratus” assegurou que a unidade fabril está em condições de responder às solicitações do mercado nacional. Reconheceu que a aceitação dos consumidores tem sido satisfatória, tendo em conta que os primeiros três meses de produção foram apenas dedicados a testes.
        “O nosso produto apenas foi lançados em Janeiro e a adesão dos consumidores tem sido significativa, se tivermos em conta que o produto já está disponível em oito províncias”, disse João Pinto.
        A “Água Cristalina”, disse João Pinto, “é um produto de extrema qualidade, devidamente certificado e atestado por laboratórios nacionais e internacionais”.
       E acrescentou que o grupo pretende que seja um produto ao alcance de todos: “o preço pode vir a baixar ainda mais com o aumento da produção e com a redução da actual dependência de matéria-prima importada”.
        João Pinto assegurou que toda a matéria-prima, excepto a água, é importada de Portugal. Até os rótulos são importados
        Com equipamentos de última geração, o “Grupo Mostratus” vai produzir no futuro outros produtos, como refrigerantes e água gaseificada com sabores: “não nos confinaremos à produção da Água Cristalina”, realçou.
         Para além da unidade fabril, o “Grupo Mostratus” está envolvido noutros negócios como a importação, exportação, promoção imobiliária e comércio.
        João Pinto assegurou que a segunda fase do projecto vai contemplar a construção de um complexo residencial com 60 suites, uma piscina e um restaurante.
O caminho da água
Natividade Teixeira, responsável pelo laboratório, explicou ao Jornal de Angola que a água é captada a uma profundidade de 150 metros. Depois da captação a água é conduzida para o depósito de recepção e daí para a unidade de filtração onde são retidos os sólidos suspensos, que existem em qualquer água natural de nascente. Em seguida, segue para depósitos de armazenamento e destes para a sala de enchimento, onde é engarrafada.
        A responsável do laboratório realçou que a monitorização de controlo de qualidade é diária e sistemática desde a captação à sala de enchimento, quer na vertente físico-química, quer na vertente microbiológica. “Os parâmetros indicadores físico-químicos analisados permitem-nos garantir que as características da água se mantêm desde a captação ao produto final”, disse Natividade Teixeira. Cyntia Faria, directora de qualidade da Mostratus, disse que a unidade fabril recebeu, na passada sexta-feira, um certificado de qualidade alimentar pelo Laboratório Central do Ministério da Agricultura.
        “Este certificado de qualidade veio confirmar que a Mostratus segue as normas de boas práticas alimentares, cumprindo um dos objectivos do grupo que é oferecer um produto com qualidade ao consumidor”, disse.
       A unidade fabril situa-se em Mazozo na província do Bengo, emprega 40 trabalhadores e encontra-se instalada numa área de 23 hectares. Actualmente estão construídos 2.400 metros quadrados afectos à zona de produção, 2.400 à área de armazenamento e 800 metros quadrados para os serviços administrativos.

Uma resposta

  1. Pretendemos cer o vossos fornecedor de caixotes de papelão, para embalar os vossos produtos de água mineral.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: