NÃO HAVERÁ AUMENTO NA ÁGUA MINERAL

Aumento de impostos para pagar gastos com energia não atinge refrigerantes e água

Aumento de impostos para pagar gastos com energia não atinge refrigerantes e água Lauro Alves/Agencia RBS

“Não há nenhuma alteração para refrigerantes e a tributação da água mineral continua zerada”, afirmou o Ministério da FazendaFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

O secretário executivo adjunto do Ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira, explicou nesta terça-feira, que, ao contrário do que vinha sendo anunciado, a alteração nos multiplicadores da tributação de bebidas frias vale para cervejas, refrescos, isotônicos e energéticos, mas não atinge refrigerantes nem água mineral. Uma portaria publicada nesta terça-feira no Diário Oficial da União reajustou o redutor que define a tributação de IPI, PIS e Cofins para bebidas frias.

— A medida vale para cervejas em qualquer embalagem e para as demais bebidas emembalagens de lata e vidro. Não há nenhuma alteração para refrigerantes e a tributação da água mineral continua zerada — afirmou.

Segundo ele, a alteração estava prevista desde setembro do ano passado e a arrecadação de R$ 200 milhões já está no orçamento.

— A estimativa de arrecadação de 2014 está mantida — completou.

De acordo com Oliveira, a alteração de 1,5 ponto porcentual no multiplicador terá impacto de 0,4% no preço dos produtos.

— Na maioria dos casos, o impacto será de R$ 0,01 por embalagem — projetou.

Oliveira ressaltou que o aumento da tributação de bebidas não está vinculado às necessidades de aporte à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

— São previstas alterações regulares nessa tabela. Os multiplicadores sofrem alteração para a tributação se aproximar da agregação de valor real da cadeia — explicou. De acordo com ele, não há previsão de novas alterações para essas bebidas ou para refrigerantes.

AGÊNCIA ESTADO

Dia Mundial da Água: aumento da demanda e dificuldade de acesso à água segura preocupam

Publicado em 21/03/2014

Editoria: Meio Ambiente Comente!

foto: Divulgação

foto: Divulgação

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 28 mil pessoas morrem por ano no Brasil de doenças provocadas por água contaminada

Neste sábado, 22 de março, comemora-se o Dia Mundial da Água, criado há mais de 20 anos para celebrar e discutir a importância da água na vida do planeta. No Brasil, o fato de termos cerca de 13% de toda a água potável do mundo pode até dar a sensação de que se trata de um recurso abundante, mas a realidade é bem diferente.

A disputa pela água exige atenção cada vez maior. Seis milhões de brasileiros não tem acesso à água tratada e apenas 37,5% de todo o esgoto no País é devidamente tratado, segundo o Instituto Trata Brasil. Além disso, nos mais de dois mil municípios brasileiros com altas taxas de mortalidade infantil, 74% da população vivem sem água encanada e esgoto.

Já, das 100 maiores cidades do país que também foram analisadas, apenas 10 municípios possuíam índice de tratamento de esgoto superior a 80%: Sorocaba, Niterói, São José do Rio Preto, Jundiaí, Curitiba, Limeira, Ribeirão Preto, Londrina, Maringá e Petrópolis. Por último, dos 53 investiram menos de 20% do que arrecadam na melhoria ou ampliação do sistema.

Quem mais sofre com a água contaminada no Brasil são as crianças. A diarreia é a segunda causa de morte entre os menores de 5 anos em todo o mundo. E, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), apenas 39% das crianças nos países em desenvolvimento recebem tratamento adequado.

Já, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).  88% das mortes por diarreias no mundo são causadas pelo saneamento inadequado e, em 2011, no Brasil, 396.048 pessoas foram internadas por diarreia; destas, 138.447 foram crianças menores de 5 anos (35% do total).

Além da diarreia, a água imprópria pode causar doenças como hepatite A, febre tifoide, rotavírus, cólera e leptospirose.

 Testes realizados em garrafões pela Proteste, organização não-governamental de defesa do consumidor, mostraram que os rótulos das águas de garrafão continham informação incompleta e quantidade errada de minerais, além de não mostrarem a data de validade ou instruções para conservação.

Algumas delas também apresentaram a bactéria Pseudomonas aeruginosa. Ela é uma bactéria muito comum em infecções que ocorrem em indivíduos imunodeprimidos, infectando, normalmente, o trato respiratório (pulmão) e aparelho urinário.

Outro ponto importante diz respeito ao armazenamento inadequado dos galões nas fábricas e estabelecimentos comerciais, o que também  pode trazer sérios riscos à saúde. Muitas vezes, galões podem ficar expostos ao sol, fumaça, pesticidas e outros produtos químicos, o que, no mínimo, afetaria o cheiro e o gosto da água.

Embora tenha se visto um considerável aumento na procura pelos purificadores por conta dos benefícios que eles trazem para a saúde, poucos sabem, realmente, como eles são capazes de tornar a água que bebemos muito mais saudável. Os purificadores são aparelhos que conseguem remover bactérias, eliminar doenças e reduzir a hipertensão.

Água contaminada no mundo

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) estima que, até 2025, 2/3 da população mundial seja afetada, de alguma forma, por falta de água potável.

Já os últimos relatórios de Desenvolvimento Humano da ONU, publicados entre 2006 e 2011, indicam que, se o consumo de água potável continuar da forma que está, países africanos e asiáticos sofrerão com uma grave escassez de água já em 2025, que afetaria cerca de 5,5 bilhões de pessoas.

O cenário piora em 2050, quando 75% da humanidade teria pouco acesso à água de qualidade, o que prejudicaria a produção agrícola e industrial, gerando também uma crise de alimentos. Atualmente, a ONU estima que 18% da população do planeta não tenha acesso à quantidade mínima necessária de água potável.

Abaixo, um estudo realizado pelo Instituto trata Brasil, mostra os impactos que a falta de água potável e saneamento básico, geram na população:

Impactos à sociedade:

·         Por ano, 217 mil trabalhadores precisam se afastar de suas atividades devido a problemas gastrointestinais ligados a falta de saneamento. A cada afastamento perdem-se 17 horas de trabalho.

·         A probabilidade de uma pessoa com acesso a rede de esgoto faltar as suas atividades normais por diarreia é 19,2% menor que uma pessoa que não tem acesso à rede.

·         Considerando o valor médio da hora de trabalho no País de R$ 5,70 e apenas os afastamentos provocados apenas pela falta de saneamento básico, os custos chegam a R$ 238 milhões por ano em horas-pagas e não trabalhadas.

·         De acordo com o DATASUS, em 2009, dos 462 mil pacientes internados por infecções gastrointestinais, 2.101 faleceram no hospital.

·         Cada internação custa, em média R$ 350,00. Com o acesso universal ao saneamento, haveria uma redução de 25% no número de internações e de 65% na mortalidade, ou seja, 1.277 vidas seriam salvas.

·         A diferença de aproveitamento escolar entre crianças que têm e não têm acesso ao saneamento básico é de 18%;

·         Se os investimentos em saneamento continuarem no mesmo ritmo, apenas em 2122 todos os brasileiros teriam acesso a esse serviço básico.

·         As 81 maiores cidades do país, com mais de 300 mil habitantes, despejam, diariamente, 5,9 bilhões de litros de esgoto sem tratamento algum, contaminando solos, rios, mananciais e praias do país, com impactos diretos a saúde da população.

Veja abaixo 10 dicas para economizar e reduzir o desperdício de água:

1.      Bebendo água

Ao analisar os garrafões de água, o consumo médio por uma família de três pessoas é de, aproximadamente, 3 litros por dia. Em oito meses consome-se 38 galões de 20 Litros de água, o que corresponde a mais de R$ 260, 00 em água neste período, se tivermos como base o preço médio de R$ 7,00 por unidade. Se cada família utilizasse um purificador de água, o custo reduziria a, aproximadamente, R$ 290 ao ano,

2.      Banho rápido
Se você demora no banho, você gasta de 95 a 180 litros de água limpa. Banhos rápidos (de no máximo 15 minutos) economizam água e energia.

3.      Escovando os dentes
Se a torneira ficar aberta enquanto você escova os dentes, você gasta você gasta até 25 litros de água. Então, o melhor é primeiro escovar e depois abrir a torneira.

4.      Torneira fechada
Torneira aberta é igual a desperdício. Com a torneira aberta, você gasta de 12 a 20 litros de água por minuto. Se deixar pingando, são desperdiçados 46 litros por dia.

5.      Descarga
Uma descarga chega a utilizar 20 litros de água em um único aperto! Então, aperte a descarga apenas o tempo necessário.

6.      Lavando louça
Ao lavar louças, não deixe a torneira aberta o tempo todo (assim você desperdiça até 105 litros). Primeiro passe a esponja e ensaboe e depois enxágüe tudo de uma só vez.

7.      Lavando o carro
Lavar o carro com uma mangueira gasta até 560 litros de água em 30 minutos. Quando precisar lavar o carro, use um balde!

8.      Mangueira, vassoura e balde
Ao lavar a calçada não utilize a mangueira como se fosse vassoura. Utilize uma vassoura de verdade e depois jogue um balde d’água (assim você economiza até 250 litros de água).

9.      Jardim
Regando plantas você gasta cerca de 186 litros de água limpa em 30 minutos. Para economizar, guarde a água da chuva e regue sempre de manhã cedo, evitando que a água evapore com o calor do dia.

10.  – Piscina
Tratar a água de piscinas para não precisar trocar com freqüência. Outra dica é cobrir a piscina com lona, enquanto não ocorre o uso, para evitar a evaporação.

DIA MUNDIAL DA AGUA

Dia 22 de Março é o dia mundial da Água

Água mineral vai ficar até 25% mais cara a partir desta sexta-feira

 

Tamires Souza

Canoas  – Beber água mineral ficará até 25% mais caro a partir de hoje. O aumento seria consequência de um decreto do governo estadual que entra em vigor com mudanças na cobrança do ICMS. A alteração vai significar uma diferença no preço da bombona de 20 litros, por exemplo, que deve subir de R$ 10 para R$ 13, em média.

A informação é da Associação dos Distribuidores de Água Mineral no Rio Grande do Sul. Segundo o vice-presidente Leandro Greff, a mudança significa um reajuste de 132% na contribuição, que era de R$ 3,50 e passa para R$ 8,15. “Estamos lutando para levar um produto mais barato e de qualidade ao consumidor e que foi derrubado por um canetaço do governo”, avaliou Greff, que teme a concorrência externa.

“Em outros estados, como Santa Catarina, a água faz parte da cesta básica e o tributo é muito baixo. Podemos sofrer com esta concorrência”, analisa. Ele também aponta as pequenas e médias empresas como as maiores prejudicadas pelo reajuste.

Após reajuste, governo reduz imposto sobre água mineral no RS

Após reajuste, governo reduz imposto sobre água mineral no RS

O decreto é válido por 12 meses e visa diminuir o aumento brusco do produto para o consumidor

Foi publicada hoje na página 4 do Diário Oficial do Estado a redução no aumento dos impostos que incidem sobre a bombona de 20 litros da água mineral. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), o decreto é válido por 12 meses e visa evitar um reajuste brusco do produto para o consumidor. 

A Associação de Distribuidores estima que o aumento seja de 18% com o decreto, ao invés dos 25% calculados anteriormente. No começo de outubro, a Secretaria da Fazenda reajustou o preço de referência, de R$ 3,50 para R$ 8,15, um acréscimo de 133%. A decisão entraria em vigor hoje, mas no decreto o governo gaúcho reduziu a alíquota de ICMS, de 17% para 10%. 

Leandro Graeff, que é vice-presidente da Associação, ressaltou que o aumento segue sendo significativo. Afirmou que a decisão do governador Tarso Genro ocorreu somente após a pressão do setor.

Fonte: Jerônimo Pires/Rádio Guaíba

GOVERNO AUMENTA ICMS DA AGUA MINERAL EM 133 %

          O Governo do Estado do Rio Grande do Sul, publicou no último dia 04/10/2013, no Diário Oficial a nova pauta para cálculo do ICMS da Água Mineral do RS.

        Este é um aumento significativo e arbitrário para o consumidor de Água Mineral do RS , que vai de contramão de outros estados onde o imposto foi zerado.

        Mais informação nos próximos dias

Centro de Distribuição da Fruki em Canoas terá a certificação AQUA

PerspectivaCDCanoasFruki1NelsonEggers MixdeProdutosFruki
Crédito: Divulgação/Fruki
Centro de Distribuição da Fruki em Canoas terá a certificação AQUA
Empreendimento é o primeiro CD do Brasil a contar com este reconhecimento
Canoas/RS - Antes mesmo de entrar em operação, o novo Centro de Distribuição (CD) da Bebidas Fruki S/A, localizado em Canoas, já comemora uma conquista importante. O empreendimento, localizado numa área total de 40 mil m², contará com a certificação AQUA, normatização já consagrada mundialmente e que destaca a alta qualidade ambiental da construção.
Assessorada pela Inovatech Engenharia, a Fruki decidiu agregar este diferencial ao investimento de aproximadamente R$ 20 milhões, que conta com um moderno centro administrativo e um amplo pavilhão de logística, somando 15 mil m² de área construída. Assim, o novo CD, que atenderá a Região Metropolitana de Porto Alegre e Litoral, será o primeiro centro de logística do Brasil e a primeira obra de Canoas a contar com esta certificação.
“A sustentabilidade sempre esteve muito presente na história da Fruki. Trabalhamos com uma gestão consciente e responsável e implementamos práticas de produção que buscam a minimização e não geração de resíduos, com várias atitudes que contribuem com o meio ambiente. Este certificado é mais uma comprovação de que estamos no caminho certo”, afirma o diretor-presidente da empresa, Nelson Eggers. O novo CD Canoas deverá ser inaugurado em agosto.
BENEFÍCIOS - Todas as etapas de construção do novo CD da Fruki foram avaliadas pela Fundação Vanzolini, envolvendo a Concepção (Projeto), a Realização (Obra) e a Operação (Uso). A normatização leva em conta a estratégia ambiental global do empreendimento, considerando a preservação dos recursos, redução da poluição e da geração de resíduos, gestão dos recursos naturais durante a operação (água e energia), gestão patrimonial (durabilidade, adaptabilidade, conservação, manutenção, custos de uso e operação), conforto e saúde (dos usuários, da vizinhança, dos operários de obra). O Referencial Técnico – Processo AQUA contém os requisitos para o Sistema de Gestão do Empreendimento (SGE) e os critérios de desempenho nas categorias da Qualidade Ambiental do Edifício (QAE).
DIFERENCIAIS - De acordo com o diretor-presidente da Fruki, o novo Centro de Distribuição Canoas foi construído observando-se todas as condições exigidas para a certificação AQUA. Tanto na área de logística quanto no prédio administrativo está evidenciado o conforto termoacústico e a iluminação. No CD, a iluminação natural é um dos destaques, superando em muito o limite considerado excelente pelo Processo AQUA. Foram utilizadas telhas especiais com proteção UV, que permitem a passagem e a difusão da luz solar no ambiente. O local também conta com um sistema de aproveitamento de água da chuva, com capacidade de armazenamento de 50 mil litros. A exemplo do que já acontece com a fábrica da Fruki localizada em Lajeado, a água coletada é utilizada nos jardins, na lavagem de pisos e nas descargas dos sanitários.
“A madeira utilizada durante a execução da obra é toda certificada, de reflorestamento, e seu descarte também foi controlado, para que seja reaproveitado. A tinta utilizada foi à base d’água, que tem menor impacto ao meio ambiente. Do total dos 40 mil m², entre 20 e 25% são de área verde. E todo o material foi adquirido de uma distância máxima de 200 km, para que fosse alcançada uma meta de menor emissão de CO 2″, explica Fabíola Eggers, assessora da presidência da Fruki.
Outros diferenciais que fizeram parte da construção também levaram em conta o impacto da obra junto à vizinhança, a começar pela estrutura de fundação, que utilizou um sistema de menor impacto. “Detalhes como local apropriado para a coleta de resíduos e até mesmo um controle da geração de pó causado pela movimentação de caminhões foi observado. O prédio administrativo conta com um sistema de condicionamento de ar com grande qualidade e eficiência, vidros duplos, e a própria posição do prédio considera a orientação solar, visando o melhor aproveitamento da luz natural, da ventilação e das temperaturas”, acrescenta Nelson Eggers.
BEBIDAS FRUKI S/A - Empresa familiar, 100% brasileira e com atuação focada no Rio Grande do Sul, a Bebidas Fruki S/A tem sua matriz, centro de distribuição e parque industrial numa área de 25 mil m² em Lajeado, com capacidade para produzir 300 milhões de litros de bebida por ano. Em suas sete linhas de engarrafamento automatizadas, são produzidos os refrigerantes Fruki, os suplementos energéticos Frukito e engarrafada a água mineral Água da Pedra. Uma equipe qualificada e treinada constantemente é responsável por levar toda esta qualidade Fruki a mais de 30 mil clientes espalhados por todo o Estado. A Fruki conta ainda com centros de distribuição em Santo Ângelo, Farroupilha e Pelotas, estrutura reforçada a partir da inauguração do CD Canoas. O Fruki Guaraná é líder de mercado na Região Metropolitana de Porto Alegre e no Vale do Taquari. A água mineral Água da Pedra é líder de mercado em todo o Rio Grande do Sul.
De Zotti – Assessoria de Imprensa
(51) 9976-8678
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 749 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: