A Abinam, entidade de âmbito nacional criou prêmio com o nome de Adib João Dib.

Entidade de âmbito nacional criou prêmio com o nome de Adib João Dib.

A Abinam – Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais entregou pela primeira vez o Prêmio Adib João Dib Empresário do Ano 2014 durante o 23º Congresso rea-lizado no final de agosto em Salvador, Bahia

A Abinam – Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais entregou pela primeira vez o Prêmio Adib João Dib Empresário do Ano 2014 durante o 23º Congresso rea-lizado no final de agosto em Salvador, Bahia.
O empresário escolhido foi Nelson Eggers, diretor-presidente da Indústria de Bebibas Fruki, da cidade de Lajeado, Rio Grande do Sul. A Fruki está completando 90 anos nesse ano, fabrica e comercializa refrigerantes e suplementos energéticos, além do envasamento da Água Mineral Água da Pedra.
A criação do prêmio foi uma homenagem ao grande empresário Adib João Dib, serrano, sócio-fundador da Água Mineral Lindoya Verão, localizada na cidade de Lindóia, interior de São Paulo.
Ao longo de sua vida, Adid demonstrou ter visão, à frente de muitos, de inovações no mercado de água mineral e não mediu esforços para realizá-las. Seu pioneirismo levou a produzir as primeiras garrafas em PVC; a embalar água mineral em copo plástico com lacre de alumínio; a lançar o garrafão de 5 litros descartável com tampa de rosca; a tornar as embalagens mais leves: garrafas 15% e tampas 40% e a lançar a garrafa PET compactável.
Foi também diretor-conselheiro da Abia – Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação e um dos fundadores da Abinam e do Sindinam, Sindicato da Indústria de Águas Minerais. “Adib João Dib era um homem inteligente e empreendedor. Foi o grande responsável por tornar o Sindinam uma entidade nacional”, declara Carlos Alberto Lancia, presidente da Abinam.
Atualmente, quem dirige a empresa Lindoya Verão é seu filho, César Dib, que traz no sangue a determinação, obstinação pela qualidade e sobretudo paixão pela empresa, atributos iguais aos de Adib João Dib.

Selo fiscal em garrafões de água se torna obrigatório na Bahia

24 de outubro de 2014

Comerciantes têm até o dia 1º de novembro para adaptar os garrafões de 20 litros de água mineral comercializados na Bahia a apresentar no lacre o selo fiscal pela Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-Ba).

A multa aplicada àqueles que descumprirem a determinação será de R$ 90 por unidade irregular. O sistema de selo ajudará a combater a concorrência desleal de envasaduras irregulares, porque dificultará a entrada clandestina de produtos no mercado. Além disso, a ação garante o controle da produção e a regularidade no recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

A obrigatoriedade já está em vigor desde o início de outubro e estabeleceu um período maior de adaptação para o comércio, o que permitiu o escoamento dos garrafões adquiridos antes da vigência do selo. A medida não implica em custo adicional, já que o valor desembolsado na aquisição do selo será utilizado como crédito na quitação do imposto devido pelas empresas. (Bahia Notícias)

PERNAMBUCO: Vendas Sobem

Supermercados relatam alta de venda de água mineral

Agência Estado

Publicação: 20/10/2014 13:35 Atualização:

Redes de supermercado têm relatado alta na venda de água mineral em meio ao clima quente e temores sobre risco de desabastecimento em São Paulo. Apesar da forte demanda, a indústria reporta que não tem havido mudança no processo de produção e descarta o risco de faltar produto.

O Grupo Pão de Açúcar (GPA) informou que as lojas das bandeiras Extra e Pão de Açúcar registraram 37% em crescimento de vendas em água mineral na primeira quinzena de outubro na comparação com igual período do ano passado.

Os destaques em vendas, segundo a empresa, estão sendo embalagens familiares – 5, 6 e 10 litros – e pacotes promocionais. A companhia ainda declarou que não tem havido problemas de estoques nas lojas. “A seção de água mineral de ambas as redes continua sendo abastecida regularmente pelos oito fornecedores que o GPA mantém nacionalmente e a companhia mantém estoque do produto adequado para as expectativas de consumo a fim de atender os clientes com diversidade de portfólio e embalagens”, disse a companhia em nota.

Já o Walmart informou que apurou crescimento de 50% em unidades vendidas de água mineral de janeiro a setembro na comparação com o mesmo período do ano anterior. A alta é considerada expressiva porque água não é um produto que costuma ter fortes variações de demanda. A companhia também chama atenção para o fato de que cresceu a procura por embalagens grandes, de 5 litros ou 10 litros, quando em anos anteriores a maior parte das compras era de embalagens de 1,5 litro.

Apesar do crescimento da procura no varejo, a Associação Brasileira de Indústria de Água Mineral (Abinam) afirma que as fabricantes ainda não sentiram impacto que altere o ritmo de produção. A entidade descarta o risco de falta de produto para abastecer o varejo. Na avaliação da Abinam, a eventual ausência de algumas marcas nas gôndolas indica apenas que alguns pontos de venda podem ter tido dificuldade para gerir estoques.

Aplicativo “Plant Nanny”, com ele ninguém vai se esquecer de beber água

 

Aplicativo “Plant Nanny”, com ele ninguém vai se esquecer de beber água

Depois de fazer download e instalar no celular, uma primeira tela explicará sobre seu funcionamento. Depois, solicitará que identifique a unidade de volume de sua preferência, em ml ou oz. Em seguida, coloque seu peso e informações sobre a prática de exercícios físicos. O aplicativo informará a necessidade diária de água para o bom funcionamento do seu organismo. Daí é só escolher sua plantinha, simbolicamente, será seu corpo, e começar a regá-la.

Todas às vezes que a planta estiver com sede, o aplicativo avisará. O objetivo é não deixar você esquecer, na correria do dia a dia, de beber água.

NÃO HAVERÁ AUMENTO NA ÁGUA MINERAL

Aumento de impostos para pagar gastos com energia não atinge refrigerantes e água

Aumento de impostos para pagar gastos com energia não atinge refrigerantes e água Lauro Alves/Agencia RBS

“Não há nenhuma alteração para refrigerantes e a tributação da água mineral continua zerada”, afirmou o Ministério da FazendaFoto: Lauro Alves / Agencia RBS

O secretário executivo adjunto do Ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira, explicou nesta terça-feira, que, ao contrário do que vinha sendo anunciado, a alteração nos multiplicadores da tributação de bebidas frias vale para cervejas, refrescos, isotônicos e energéticos, mas não atinge refrigerantes nem água mineral. Uma portaria publicada nesta terça-feira no Diário Oficial da União reajustou o redutor que define a tributação de IPI, PIS e Cofins para bebidas frias.

— A medida vale para cervejas em qualquer embalagem e para as demais bebidas emembalagens de lata e vidro. Não há nenhuma alteração para refrigerantes e a tributação da água mineral continua zerada — afirmou.

Segundo ele, a alteração estava prevista desde setembro do ano passado e a arrecadação de R$ 200 milhões já está no orçamento.

— A estimativa de arrecadação de 2014 está mantida — completou.

De acordo com Oliveira, a alteração de 1,5 ponto porcentual no multiplicador terá impacto de 0,4% no preço dos produtos.

— Na maioria dos casos, o impacto será de R$ 0,01 por embalagem — projetou.

Oliveira ressaltou que o aumento da tributação de bebidas não está vinculado às necessidades de aporte à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

— São previstas alterações regulares nessa tabela. Os multiplicadores sofrem alteração para a tributação se aproximar da agregação de valor real da cadeia — explicou. De acordo com ele, não há previsão de novas alterações para essas bebidas ou para refrigerantes.

AGÊNCIA ESTADO

Dia Mundial da Água: aumento da demanda e dificuldade de acesso à água segura preocupam

Publicado em 21/03/2014

Editoria: Meio Ambiente Comente!

foto: Divulgação

foto: Divulgação

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 28 mil pessoas morrem por ano no Brasil de doenças provocadas por água contaminada

Neste sábado, 22 de março, comemora-se o Dia Mundial da Água, criado há mais de 20 anos para celebrar e discutir a importância da água na vida do planeta. No Brasil, o fato de termos cerca de 13% de toda a água potável do mundo pode até dar a sensação de que se trata de um recurso abundante, mas a realidade é bem diferente.

A disputa pela água exige atenção cada vez maior. Seis milhões de brasileiros não tem acesso à água tratada e apenas 37,5% de todo o esgoto no País é devidamente tratado, segundo o Instituto Trata Brasil. Além disso, nos mais de dois mil municípios brasileiros com altas taxas de mortalidade infantil, 74% da população vivem sem água encanada e esgoto.

Já, das 100 maiores cidades do país que também foram analisadas, apenas 10 municípios possuíam índice de tratamento de esgoto superior a 80%: Sorocaba, Niterói, São José do Rio Preto, Jundiaí, Curitiba, Limeira, Ribeirão Preto, Londrina, Maringá e Petrópolis. Por último, dos 53 investiram menos de 20% do que arrecadam na melhoria ou ampliação do sistema.

Quem mais sofre com a água contaminada no Brasil são as crianças. A diarreia é a segunda causa de morte entre os menores de 5 anos em todo o mundo. E, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), apenas 39% das crianças nos países em desenvolvimento recebem tratamento adequado.

Já, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE).  88% das mortes por diarreias no mundo são causadas pelo saneamento inadequado e, em 2011, no Brasil, 396.048 pessoas foram internadas por diarreia; destas, 138.447 foram crianças menores de 5 anos (35% do total).

Além da diarreia, a água imprópria pode causar doenças como hepatite A, febre tifoide, rotavírus, cólera e leptospirose.

 Testes realizados em garrafões pela Proteste, organização não-governamental de defesa do consumidor, mostraram que os rótulos das águas de garrafão continham informação incompleta e quantidade errada de minerais, além de não mostrarem a data de validade ou instruções para conservação.

Algumas delas também apresentaram a bactéria Pseudomonas aeruginosa. Ela é uma bactéria muito comum em infecções que ocorrem em indivíduos imunodeprimidos, infectando, normalmente, o trato respiratório (pulmão) e aparelho urinário.

Outro ponto importante diz respeito ao armazenamento inadequado dos galões nas fábricas e estabelecimentos comerciais, o que também  pode trazer sérios riscos à saúde. Muitas vezes, galões podem ficar expostos ao sol, fumaça, pesticidas e outros produtos químicos, o que, no mínimo, afetaria o cheiro e o gosto da água.

Embora tenha se visto um considerável aumento na procura pelos purificadores por conta dos benefícios que eles trazem para a saúde, poucos sabem, realmente, como eles são capazes de tornar a água que bebemos muito mais saudável. Os purificadores são aparelhos que conseguem remover bactérias, eliminar doenças e reduzir a hipertensão.

Água contaminada no mundo

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) estima que, até 2025, 2/3 da população mundial seja afetada, de alguma forma, por falta de água potável.

Já os últimos relatórios de Desenvolvimento Humano da ONU, publicados entre 2006 e 2011, indicam que, se o consumo de água potável continuar da forma que está, países africanos e asiáticos sofrerão com uma grave escassez de água já em 2025, que afetaria cerca de 5,5 bilhões de pessoas.

O cenário piora em 2050, quando 75% da humanidade teria pouco acesso à água de qualidade, o que prejudicaria a produção agrícola e industrial, gerando também uma crise de alimentos. Atualmente, a ONU estima que 18% da população do planeta não tenha acesso à quantidade mínima necessária de água potável.

Abaixo, um estudo realizado pelo Instituto trata Brasil, mostra os impactos que a falta de água potável e saneamento básico, geram na população:

Impactos à sociedade:

·         Por ano, 217 mil trabalhadores precisam se afastar de suas atividades devido a problemas gastrointestinais ligados a falta de saneamento. A cada afastamento perdem-se 17 horas de trabalho.

·         A probabilidade de uma pessoa com acesso a rede de esgoto faltar as suas atividades normais por diarreia é 19,2% menor que uma pessoa que não tem acesso à rede.

·         Considerando o valor médio da hora de trabalho no País de R$ 5,70 e apenas os afastamentos provocados apenas pela falta de saneamento básico, os custos chegam a R$ 238 milhões por ano em horas-pagas e não trabalhadas.

·         De acordo com o DATASUS, em 2009, dos 462 mil pacientes internados por infecções gastrointestinais, 2.101 faleceram no hospital.

·         Cada internação custa, em média R$ 350,00. Com o acesso universal ao saneamento, haveria uma redução de 25% no número de internações e de 65% na mortalidade, ou seja, 1.277 vidas seriam salvas.

·         A diferença de aproveitamento escolar entre crianças que têm e não têm acesso ao saneamento básico é de 18%;

·         Se os investimentos em saneamento continuarem no mesmo ritmo, apenas em 2122 todos os brasileiros teriam acesso a esse serviço básico.

·         As 81 maiores cidades do país, com mais de 300 mil habitantes, despejam, diariamente, 5,9 bilhões de litros de esgoto sem tratamento algum, contaminando solos, rios, mananciais e praias do país, com impactos diretos a saúde da população.

Veja abaixo 10 dicas para economizar e reduzir o desperdício de água:

1.      Bebendo água

Ao analisar os garrafões de água, o consumo médio por uma família de três pessoas é de, aproximadamente, 3 litros por dia. Em oito meses consome-se 38 galões de 20 Litros de água, o que corresponde a mais de R$ 260, 00 em água neste período, se tivermos como base o preço médio de R$ 7,00 por unidade. Se cada família utilizasse um purificador de água, o custo reduziria a, aproximadamente, R$ 290 ao ano,

2.      Banho rápido
Se você demora no banho, você gasta de 95 a 180 litros de água limpa. Banhos rápidos (de no máximo 15 minutos) economizam água e energia.

3.      Escovando os dentes
Se a torneira ficar aberta enquanto você escova os dentes, você gasta você gasta até 25 litros de água. Então, o melhor é primeiro escovar e depois abrir a torneira.

4.      Torneira fechada
Torneira aberta é igual a desperdício. Com a torneira aberta, você gasta de 12 a 20 litros de água por minuto. Se deixar pingando, são desperdiçados 46 litros por dia.

5.      Descarga
Uma descarga chega a utilizar 20 litros de água em um único aperto! Então, aperte a descarga apenas o tempo necessário.

6.      Lavando louça
Ao lavar louças, não deixe a torneira aberta o tempo todo (assim você desperdiça até 105 litros). Primeiro passe a esponja e ensaboe e depois enxágüe tudo de uma só vez.

7.      Lavando o carro
Lavar o carro com uma mangueira gasta até 560 litros de água em 30 minutos. Quando precisar lavar o carro, use um balde!

8.      Mangueira, vassoura e balde
Ao lavar a calçada não utilize a mangueira como se fosse vassoura. Utilize uma vassoura de verdade e depois jogue um balde d’água (assim você economiza até 250 litros de água).

9.      Jardim
Regando plantas você gasta cerca de 186 litros de água limpa em 30 minutos. Para economizar, guarde a água da chuva e regue sempre de manhã cedo, evitando que a água evapore com o calor do dia.

10.  – Piscina
Tratar a água de piscinas para não precisar trocar com freqüência. Outra dica é cobrir a piscina com lona, enquanto não ocorre o uso, para evitar a evaporação.

DIA MUNDIAL DA AGUA

Dia 22 de Março é o dia mundial da Água

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 746 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: